domingo, 30 de janeiro de 2011

Formação Continuada de Professores - Habilidades e Competências

Olá Blogueiros-educadores da Contemporaneidade!

Estamos finalizando uma etapa do nosso curso de Formação e Habilidades e Competência vieram justamente para que a vocês pudessem mover os conhecimentos, não se limitar a eles e realizar esse webquests com muita eficácia!
Sucesso!




1. Introdução:

Hoje a busca pelo aprender e o seu próprio estímulo não está centrado no educador, muito menos este conhecimento retido nele, mas está voltado ao desejo, a curiosidade, a vontade e até mesmo à necessidade do ser pelo aprender, assim o educador não pode perder as oportunidades de movimentar a busca pelo aprender e  criar situações na mesma.



Aceitar uma abordagem por competências é, portanto, uma questão ao mesmo tempo de continuidade, pois a escola jamais pretendeu querer outra coisa, e de mudança, pois as rotinas pedagógicas e didáticas, as segmentações disciplinares, a divisão do currículo, o peso da avaliação e da seleção, as imposições da organização escolar, a necessidade de tornar rotineiros o ofício do professor e do aluno têm levado a pedagogias e à didáticas que, muitas vezes, não contribuem para construção de competências.
São múltiplos os significados da noção de competências. PERRENOUD (1997b) a define como sendo “uma capacidade de agir eficazmente em um determinado tipo de situação, apoiada em conhecimentos, mas sem limitar-se a eles”.


video


A noção de habilidade e competência é um testemunho de nossa época. É uma noção geral, que conhece um uso extensivo em lugares diferentes da sociedade, sendo utilizada pelos atores sociais e também por aqueles que observam e analisam os fenômenos sociais.
A questão da construção da competência em educação vem sofrendo um amplo questionamento por parte dos educadores: “O debate sobre competências reanima o eterno debate sobre cabeças bem feitas ou cabeças bem cheias. Desenvolver competências é assunto da escola? Ou a escola deve limitar-se à transmissão de conhecimentos?” Assim, PERRENOUD (1997a) questiona o papel da escola ante à questão da competência.








2. Tarefa:
1. No vídeo pudemos analisar a ação peagógica, a técnica, as habilidades e a competência, após discutimos sobre estes movimentos no ato do aprender a aprender. Como o educador pode ter uma práxis pedagógica com desenvolvimento de habilidade para gerar competência no aluno?
2. Você se sente apto para desenvolver um trabalho numa Instituição de Ensino que possui suporte pedagógico com o deenvolvimento de habilidades e competências e contextualizada na teoria sócioconstrutivista-interacionista?

3. Elabore um plano de ensino seguindo a tabela exposta no slide e envie para o email lusianecarvalho@hotmail.com. Os professores podem utilizar o plano de Ensino da I Unidade 2010 e resignificar, para tanto solicite-o por email.


3. Processo:

Comente o webquest e envie seu plano de ensino seguindo a tabela exposta no slide e envie para o email lusianecarvalho@hotmail.com. Vc pode escolher a área de conhecimento e a série.
Não deixe de postar do seu blog suas impressões e de avaliar o curso do webquests que estará disponível em breve.
Bom trabalho,

Lusiane

4. Avaliação:

Através dos comentários, das visitações em seu blog educativo, das discussões no processo de formação continuada, das atividades realizadas e por fim do plano de ensino a ser enviado.


Créditos:

Centro Educacional Império do Saber
Lusiane Carvalho da Silva Santana
Formação Continuada de Professores
Data: 29 de janeiro de 2011

16 comentários:

  1. Acredito que é necessário situar as habilidades e competências do professor,antes e também, faz-se necessário que o mesmo reconheça suas habilidades para gerar competências, por exemplo, em uma sala de aula o professor tem que ter a habilidade para a partir do objeto em estudo, um dado tema, para o qual ele tem habilidade em coordenar, expressar, despertar o interesse dos alunos, provocando-os e convidando-os para refletir, gerando com isso suas competências. Para isso, faz-se necessário que nos dias de hoje, em um ambiente tecnológico, o professor compreenda que mas importante que acumular conceitos e informações, está a capacidade procedimental, isto é, do saber como fazer, do aprender a aprender, com isso, estou querendo dizer é muito pouco o aluno aprender, por exemplo, a vida de Sócrates ou Platão, o professor deve criar situações, propor problemas, para que o aluno possa usar e interpretar as informações do sistema desses filósofos, a fim de resolver eficazmente os desafios propostos no contexto social, individual.
    Expostas essas questões, afirmo que sinto-me preparado para os desafios e instrumentos disponíveis em uma Instituição de ensino que possui suporte pedagógico com o deenvolvimento de habilidades e competências e contextualizada na teoria sócioconstrutivista-interacionista. Pois acredito que esse suporte pedagógico e essa teoria, tornam-se, ao meu ver, uma das mais eficientes para dar conta da grande problemática que os educadores encontram,ou seja, manter a disciplina e gerir uma sala de aula. Isto porque, oferece uma concepção de educação que visualiza o humano como um todo em suas múltiplas dimensões e também o coloca como sujeito construtor do conhecimento.
    Cleidson de Oliveira
    Blogger: conviteaofilosofar.blogspot.com
    e-mail: conviteaofilosofar@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Lusi, Valeu!!! Tenha certeza que fico agradecida pela oportunidade que recebi de compartilhar com todos os momentos que passamos juntos, estimulantes, questionadores nos quais com certeza nos sentimos valorizados, pois a protagonista foi o nosso trabalho, “A Educação”, sob a sua regência com muita competência, Parabéns!!!
    1-No primeiro momento o educador deve ter a sensibilidade para iniciar a sedução no aluno gerando como conseqüência ao mesmo a iniciativa que o fará participante no contexto do objetivo, sem esquecer que diante do aluno o professor desperta o querer quando busca referenciar modelo, que logo poderá aguçar a percepção e imaginação. A capacidade de criar do sujeito provem da vontade, uma vez que, o homem cria a partir das suas necessidades, estímulos, expectativas e anseios. A competência se faz presente quando o ser humano coloca suas habilidades construídas ou adquiridas em prática.
    2-Acredito que o educador para estar feliz precisa sentir orgulho do seu trabalho, logo, que profissional seria eu se não estivesse disposta a aceitar os desafios e a oportunidade de fazer parte de um contexto educacional respeitoso, estimulante e real? Sinto-me apta sim a abraçar uma proposta de ensino para desenvolver um trabalho em uma instituição que ofereça suporte pedagógico com desenvolvimento de habilidades e competência e contextualizada na teoria sócio-construtivista internacionalista. Acredito ainda, que a minha disposição somada a uma proposta de ensino atualizada/diferenciada e necessária resultará em ótimos frutos em todos os contextos.
    Angélica Nunes.

    ResponderExcluir
  3. Olã Cleison!
    Quero dizer que para mim foi, realmente um prestígio poder trocaar conhecimentos com vc e que seus pensamentos estão totalmente conectados com nossa proposta. Bom esta foi uma equipe nota 10 mesmo.
    Angélica, Obrigada pelo seu imenso carinho e saiba que vc foi muito importante em nosso curso, pois o educador participativo é multiplicador de conhecimentos.

    Paabéns a vcs.
    Bjão
    Lu

    ResponderExcluir
  4. Dia – Desenvolvimento das habilidades e competências na escola contemporânea
    Por Emanuele Morais

    Para Freire e Shor (2003), o aluno que desenvolve o ato de conhecer e produzir conhecimento deve possuir algumas qualidades, como a ação, a reflexão crítica, a curiosidade, o questionamento exigente, a inquietação e a incerteza, onde podemos pensar que a educação é mediada a partir de uma interação de conhecimentos entre aluno e professor no processo de execução das habilidades e aquisição das competências.
    A construção de competências se estabelece a partir da sedução, mediação passada ao aluno pelo professor, onde o aprendiz não arbitrariamente e subjetivamente utiliza os seus conhecimentos prévios aplicando-os à situação demonstrada de forma a tentar conhecê-la dando uma resignificação. Para mim, esta resignificação do ato de fazer, de interpretar, de conhecer propriamente desencadeia a competência.
    Pró Lusi, adorei a experiência que tem para mim um valor incomensurável, espero ter sempre na minha vida oportunidades excelentes como esta e de preferência com vocês da família Império do Saber.
    Parabéns e Beijos.
    Blogger:emanueleeducaaprende.blogspot.com
    e-mail: manumorais1990@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Obrigada Emanuele!Saiba que para nós do Império é, realmente, um prestígio ter educadores como vcs.
    Beijão,
    Lu

    ResponderExcluir
  6. Nessa grande ciranda de experiências e viagem no tempo, seguindo a tríade do ensino - pesquisa e extensão,"aprendi, o caminho me ensinou que não vou mais sozinho" (Thiago de Mello). Com essa afirmação reintero o que disse no desenvolvimento desse importante curso, de Formação Continuada, propocionado pelo Império do Saber, sob a coordenação da educadora Lusiane Carvalho.
    De fato não estamos isolados nessa aldéia global. Estamos na companhia de um aparato tecnológico, fruto da evolução humana, bem como abraçados direta e/ou indiretamente na arte de conviver e coexistir com o outro, com o que veio- virá - o que é - o que está sendo - o que será. Assim, devemos buscar, a cada dia, em nossa arte de exercitar o magistério, dentro e fora da sala de aula, a sintonia com o cosmo: o eu - o outro - o mundo, com todos os universos possíveis. Transceder aos meandros das limitações humanas. Ser sendo educador/a da contemporaneidade. Aquele/a que quer ser homem novo / mulher nova na dinâmica espaço temporal.
    Portanto, precismaos valorizar todos os legados da nossa ancestralidade, no presente, e ser os herdeiros do futuro, sabendo usar bem as TIC's ao nosso favor. Primando pelo verdadeiro progresso humano-afetivo, tecnológico, científico. Avançar sempre na arte do "aprender a aprender" a ser amante do ensino-aprendisagem, da solidariedade, da ecologia, da vida, dom maior.
    Então vamos, sim, cotidianamente, tentar está a frente do nosso tempo, atualizando, ressignificando a ciência, a cultura, a tecnologia. Utilizando a internet (e-mail - orkut - blog - site), o celular, todas as máquinas a serviços da educação, da humanidade, do diálogo inter e intra pessoal, local/territorial e/ou continental. Universal.
    Tendo em vista que podemos construir dialógica, crítica, democrática e eco-humanamente a "ciÊncia com consciência". Enfim, a grande unidade na diversidade. Pensando o global e agindo local / sensivel e conscientemente.
    Aproveito o momento para agradecer ao Deus da vida, pelo dom da arte do (con)viver e construir culturas. Ao Império pela oportunidade; à coordenação pelo empenho (competÊncia e boa vontade); a todos/as que contribuio direta e indiretamente pelo sucesso nesses dias que construimos, aprendemos,ensinamos,saboreamos, concordamos/descordamos, respeitamos,celebramas; vivemos juntos/as.
    Agora bola pra frente, "... Vamos lá fazer o que será...".
    Fé - Luz - Paz - Brilho - Ternura... E viva a vida, dom do Deus/amor artista do universo!!!

    ResponderExcluir
  7. Fredson,
    Incrível a tua sensibilidade em fazer poesia até mesmo quando estamos fazendo ciência. É prque está na sua alma! Ter vc no grupo é um prestígio, além de podermos "discutir bastante" kkkk! Amei tudo!
    Obrigada pela sua maravilhosa participação! Ufa! E como vc participou! Precisamos de pessoas e educadores assim!
    Abraços,
    Lu

    ResponderExcluir
  8. AH!Como foi bom estes dias com você.Como aprendi.Parabéns pela sua competência no que faz.O seu exemplo vou carregar aonde eu for.Obrigada.
    O educador tem em suas mãos um "poder" muito grande em relação ao seu educando, porém cabe a ele usá-lo a favor do seu aluno.O professor deve ser um sedutor,encorajador do seu educando, fazendo as habilidades se movimentarem,gerando competências.Afinal,educamos os nossos alunos para viverem fora dos muros da escola.
    Vale ressaltar que o ser humano é obra inacabada,sempre aprendendo,acredito que o querer e a disponibilidade para se aprender faz toda a diferença.

    ResponderExcluir
  9. O vídeo deixa claro que as interferências do educador são imprescindíveis para o educando desenvolver habilidades e movê-las diante de novas situações. Destaco do vídeo as seguintes atitudes do 'ogro' que por certo auxiliaram o garoto a tirar lampejos da argila, e que devem estar presentes em nossa prática pedagógica, a saber: despertar curiosidade, oportunizar, acompanhar o processo e mostrar o 'como fazer', explicação paciente e estímulo para elevar a auto estima. Ainda acrescentaria o reconhecimento, embora não identifiquei no vídeo.

    ResponderExcluir
  10. Vitor,

    Importante tb analisar que o desejo pelo conhecimento partiu da criança e que o ofro sob conduzir o desenvolvimento da habilidade da criança em vez de impor sua propria tecni, este teve que aprender aprendendo a sua.
    Lu

    ResponderExcluir
  11. Bem Lusi,
    Penso que o desejo surgiu na criança quando ele viu o manuseio por parte do ogro, ou seja, o mestre precisa saber fazer o aprendiz se interessar pelo o objeto do aprendizado. Pensando em física, as coisas caem e todos sabem disso, mas o professor, por mostrar que existe por tras daquele fenômeno uma Lei que rege a queda dos corpos, pode imprimir beleza a essa coisa simples e convidar o estudante a conhecer a matemática que rege nosso universo.
    E quanto à não imposição de uma tecnica, concordo plenamente com sua colocação.
    Valeu,
    Vitor.

    ResponderExcluir
  12. Muito bem Vitor!
    ~E isso mesmo. Algo que discutimos no encontro foi justamente sobre aproveitar o desejo do aluno em tudo e ai ficou a reflexão sobre quando o desejo do aluno sobre o conhecimento não está em seu plano no momento mas no plano dele. Devemos anular aquilo? Muitos professores se reportaram a momentos desse tipo onde estamos tão preocupados em cumprir o planejamento que nem percebemos aquele momento tão important do aprendizado. Por isso o conhecimento não pode mais ser linear , mas circular.
    Parabéns!
    Lu

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo trabalho Lusiane, acredito que a equipe do Império aproveitou muito essa jornada.Bom tabalho para vcs.
    Abraços.
    Cris

    ResponderExcluir
  14. Olá, gostaria de deixar registrado meu agradecimento ao Centro Educacional Império do Saber pelo convite.
    Como amante das ciências mergulhei na proposta desta Formação Continuada, ministrada pela coordenadora pedagógica Lusiane Carvalho. No início, acreditei que esta formação teria a finalidade de direcionar os trabalhos pedagógicos dos docentes. Coisas do tipo: avaliação, pontos, alunos, etc. Grande foi a minha surpresa ao deparar-me totalemnte envolvida em um assunto ousado, empreendedor e tão diverso quanto o Universo: TECNOCIÊNCIA. Interessante para mim foi perceber como este assunto era encarado pelos profissionais das mais diversas áreas de conhecimento. Vi, refleti, guardei, discuti! Meus grandes verbos da educação foram todos contemplados. Esta formação nos convidou diretamente a exercermos toda a nossa versatilidade, elasticidade, temos que penetrar a matéria impenetrável e sermos mutáveis e flexíveis. A discussão sobre o vídeo do mestre, do jovem aprendiz e do barro foi muito proveitosa e calorosa. Ao enxergar a relação entre as três partes envolvidas no vídeo pensei que o aprender a aprender depende de todas as partes envolvidas no processo. No dia da explanação do vídeo, enxerguei um triângulo equilátero no qual os vértices se comunicavam por setas reversas, hoje, depois de guardar e pensar, enxergo uma pirâmide de base triangular, tudo conectado pelas mesmas setas reversas, onde no topo da pirâmide encontramos dois gigantes da educação: CONHECIMENTO e TRANSFORMAÇÃO! Enfim, gostaria de parabenizar a toda a equipe pelo trabalho excepcional e pela vontade de acertar. Acredito muito nisso, VONTADE, isso é força motriz! Uma das educadoras comentou algo a respeito de alguém ter dito certa vez: para toda ação, existe uma reação. Este alguém foi Isaac Newton, e esta frase é uma das leis da Física Clássica que contempla a mecânica dos corpos. Vejo esta vontade como o ponto de partida da ação, a vontade de dar certo, de fazer acontecer, isso é maravilhoso, se existe a ação, logo, existirá a reação! Que sem sombra de dúvidas culminará no sucesso de toda esta prática. Façamos acontecer!

    ResponderExcluir
  15. Parabéns Lílian,

    Fascinante suas indagações e impressões.
    Tenho certeza que esta equipe esta preparada para realizar um excelente trabalho. Em relação aos momentos de discussão sobre avaliação, planejamento... não se preocupe, pois termos isso nas reuniões pedagógicas.
    Nós acreditamos que estudar é antes de qualquer coisa o mais importante e foi isso que fizemos primeiro, afinal somos exemplos para nossos alunos.
    Agora vamos trabalhar!
    Sucesso para toda equipe,
    Lusiane

    ResponderExcluir