quarta-feira, 17 de setembro de 2014

APRENDER A APRENDER - CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA SUPERVISORES DE ENFERMAGEM


CEPEn - As obras Sociais irmã Dulce esta realizando um curso de Capacitação Didático Pedagógico para enfermeiros em supervisão. Lusi Carvalho Santana ministrou o tema: APRENDENDO A APRENDER. Esta foi mais uma atividade realizada pelo PECA- Assessoria e Consultoria & Clínica Especializada. O curso aconteceu no CEPEn Centro de Ensino e Penquisa, localizada no prédio do Hospital Irmã Dulce. A turma é incrível! Estou muito feliz por contribuir com esta equipe maravilhosa de profissionais da área de saúde.
video


APRENDER A APRENDER E A NEUROCIÊNCIA NA EDUCAÇÃO from Lusiane Carvalho da Silva

INTRODUÇÃO


     Iniciamos os trabalhos com o vídeo APRENDER A APRENDER que ao permitirmos assistir com o olhar apurado conseguimos perceber a essência do ato de aprender a aprender na visão de quem ensina e de quem aprender, porque quem ensina aprende e quem aprende ensina.
  Em seguida, não podíamos deixar de analisar o comportamento do SUJEITO DA CONTEMPORANEIDADE,  a fim  de entender que aprender a aprender é o caminho para as conquistas diárias e a busca da sabedoria.
      Dando continuidade as nossas discussões seguimos com o aprendizado, a partir das contribuições da neurociência na educação, pois independente da área de conhecimento, a fonte de todo saber filosófico é a educação, como fizemos neste encontro. A neurociência, através da mediação e com a conclusão do vídeo de Suzana Herculano pode trazer os princípios básicos para o ato de APRENDER A APRENDER.
     Analise as questões abaixo e contribua, nos comentários com suas impressões, neste curso.

1. TAREFA
Reveja o vídeo APRENDER A APRENDER E COMENTE:
Você está liderando uma nova equipe de enfermeiros recém formados. Na ação cotidiana um de seus enfermeiros necessita colocar um acesso para coletar material de investigação em exames. O enfermeiro tentar a primeira vez, mas não encontra a veia do paciente. BASEANDO-SE  NO COMPORTAMENTO DO MESTRE, DO VÍDEO, COMO UM SUPERVISOR DEVE SE COMPORTAR NO MOMENTO DA AÇÃO E APÓS ESTA?




2. TAREFA:

    Reveja, cuidadosamente, o slide do curso Aprender a Aprender e expresse seus conhecimentos, a partir deste estudo. o que é novo para você e porque você utilizará na sua vida profissional e pessoal.




3. PROCESSO

video

Outro vídeo para pesquisa:

https://www.youtube.com/watch?v=M0do_ye-R00 (vídeo extra para ampliar possibilidades de aprendizado)

Assista ao vídeo de Suzana Herculano - As Contribuições da Neurociência na Educação e relacione com toda a mediação realizada, neste curso apresentando, sempre, suas expressões e as contribuições para sua carreira.

4. AVALIAÇÃO

Apresente seu pensamento sobre o tema abordado, as contribuições na sua vida e se este tema foi, realmente pertinente na sua prática.

5. CRÉDITOS:
LUSIANE CARVALHO DA SILVA
PEDAGOGA (UCSal)
ESPECIALISTA EM TECNOLOGIAS E NOVAS EDUCAÇÕES (UFBA)
PSICOPEDAGOGA CLÍNICA E INSTITUCIONAL (IBPEX/UNIINTER)
MESTRADA EM FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Este webquests já é um ensaio para nosso próximo encontro, pois você ao participar desta atividade você já estará utilizando uma ferramenta da TIC-TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO.


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Psicopedagogia da Linguagem: Leitura e Escrita


   CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL E CLÍNICA


DOCENTE: LUSIANE CARVALHO DA SILVA

1. INTRODUÇÃO:

Durante uma pequena jornada de 10:00 h, estivemos discutindo sobre um tema de elevadíssima importância entre os educadores: a Psicopedagogia de Linguagem: leitura e escrita.Muitas situações que estão relacionados com a leitura  e escrita    tornou-se um assunto psicopedagógica pela ineficácia das intervenções em sala de aula. Essas ineficácia não desmerece a atuação do professor, mas desperta uma situação grave que eles vivem e que não pode ser ignorada: salas superlotadas, péssimas condição de trabalho, equivocadas interpretações sobre os níveis de aquisição da leitura e escrita, além da necessidade de algumas crianças em serem vistas enquanto sujeito para uma terapia de aprendizagem.



A linguagem é o meio de comunicação mais potente  que existe, pois ocorre independentemente de quaisquer tecnologias criada posteriormente pelo homem, haja vista que o próprio pensamento humano transcede com o uso da linguagem. Em teoria da comunicação, a linguagem equivale ao código, o qual permite a elaboração das mensagens, que são emitidas por uma fonte e transmitidas através de um canal ou meio, atingindo um receptor.

            Na Psicopedagogia, o estudo da linguagem vem contribuir de forma bastante significativa nas terapias de aprendizagem, pois através da linguagem seja esta escrita ou lida, é possível perceber déficit de aprendizagem que podem ser superados com reais situações de intervenção. Para tanto faz-se necessário que o Psicopedagogo conheça a linguagem com os aspectos na leitura e escrita de forma ampla e contextualizado em teorias do conhecimento que possam mobilizar suas ações no processo de diagnóstico e/ou intervenção com o sujeito. 

Neste sentido, a Disciplina Psicopedagogia da linguagem: leitura e escrita no curso de Psicopedagogia Clínica e Institucional, venho desperta, entre estudantes e educadores o interesse em investigar, com mais vigor,  sobre a aquisição da leitura e escrita, os distúrbios e dificuldades de aprendizagem relacionadas e o papel do Psicopedagogo Institucional e Clínico, neste processo.

2. TAREFA:Reveja os slides e comente sobre qual o papel do psicopedagogo nas dificuldades de aprendizagem que envolvam a leitura e escrita sendo a sua atuação de forma Institucional ou Clínica.
Niveis da escrita


View more presentations from lusianecarvalho.


3. PROCESSO


Após rever os slides expresse suas impressões com base nos conhecimentos adquiridos na aula somado às suas experiências e desenvolva seu comentário podendo também comentar sobre as colocações dos seus colegas.


4. AVALIAÇÃO:

Com base nos comentários postados e nas reflexões expressas no mesmo.
Sucesso!
video


SUCESSO A TODOS VOCÊS PSICOPEDAGOGOS E LEMBREM-SE: NÃO FAÇA DESTA OPORTUNIDADE APENAS UM CERTIFICADO!

5. CRÉDITOS:

LUSIANE CARVALHO DA SILVA
PSICOPEDAGOGA/ ESPECIALISTA EM TECNOLOGIAS E NOVAS EDUCAÇÕES
MESTRANDA EM FORMAÇÃO DE PROFESSORES

VISITEM O BLOG: programapeca.blogspot.com

domingo, 30 de janeiro de 2011

Formação Continuada de Professores - Habilidades e Competências

Olá Blogueiros-educadores da Contemporaneidade!

Estamos finalizando uma etapa do nosso curso de Formação e Habilidades e Competência vieram justamente para que a vocês pudessem mover os conhecimentos, não se limitar a eles e realizar esse webquests com muita eficácia!
Sucesso!




1. Introdução:

Hoje a busca pelo aprender e o seu próprio estímulo não está centrado no educador, muito menos este conhecimento retido nele, mas está voltado ao desejo, a curiosidade, a vontade e até mesmo à necessidade do ser pelo aprender, assim o educador não pode perder as oportunidades de movimentar a busca pelo aprender e  criar situações na mesma.



Aceitar uma abordagem por competências é, portanto, uma questão ao mesmo tempo de continuidade, pois a escola jamais pretendeu querer outra coisa, e de mudança, pois as rotinas pedagógicas e didáticas, as segmentações disciplinares, a divisão do currículo, o peso da avaliação e da seleção, as imposições da organização escolar, a necessidade de tornar rotineiros o ofício do professor e do aluno têm levado a pedagogias e à didáticas que, muitas vezes, não contribuem para construção de competências.
São múltiplos os significados da noção de competências. PERRENOUD (1997b) a define como sendo “uma capacidade de agir eficazmente em um determinado tipo de situação, apoiada em conhecimentos, mas sem limitar-se a eles”.


video


A noção de habilidade e competência é um testemunho de nossa época. É uma noção geral, que conhece um uso extensivo em lugares diferentes da sociedade, sendo utilizada pelos atores sociais e também por aqueles que observam e analisam os fenômenos sociais.
A questão da construção da competência em educação vem sofrendo um amplo questionamento por parte dos educadores: “O debate sobre competências reanima o eterno debate sobre cabeças bem feitas ou cabeças bem cheias. Desenvolver competências é assunto da escola? Ou a escola deve limitar-se à transmissão de conhecimentos?” Assim, PERRENOUD (1997a) questiona o papel da escola ante à questão da competência.








2. Tarefa:
1. No vídeo pudemos analisar a ação peagógica, a técnica, as habilidades e a competência, após discutimos sobre estes movimentos no ato do aprender a aprender. Como o educador pode ter uma práxis pedagógica com desenvolvimento de habilidade para gerar competência no aluno?
2. Você se sente apto para desenvolver um trabalho numa Instituição de Ensino que possui suporte pedagógico com o deenvolvimento de habilidades e competências e contextualizada na teoria sócioconstrutivista-interacionista?

3. Elabore um plano de ensino seguindo a tabela exposta no slide e envie para o email lusianecarvalho@hotmail.com. Os professores podem utilizar o plano de Ensino da I Unidade 2010 e resignificar, para tanto solicite-o por email.


3. Processo:

Comente o webquest e envie seu plano de ensino seguindo a tabela exposta no slide e envie para o email lusianecarvalho@hotmail.com. Vc pode escolher a área de conhecimento e a série.
Não deixe de postar do seu blog suas impressões e de avaliar o curso do webquests que estará disponível em breve.
Bom trabalho,

Lusiane

4. Avaliação:

Através dos comentários, das visitações em seu blog educativo, das discussões no processo de formação continuada, das atividades realizadas e por fim do plano de ensino a ser enviado.


Créditos:

Centro Educacional Império do Saber
Lusiane Carvalho da Silva Santana
Formação Continuada de Professores
Data: 29 de janeiro de 2011

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Formação Continuada de Professores - Dimensões Estruturantes no uso das TIC`S

Olá Educador da Contemporaneidade!

Hoje, como os outros, foi um dia especial, pois Dimensões estruturantes é tudo que o educador precisa para mover habilidades e possibilidades no uso das TIC.



Quantas habiliades foram movidas hem! Desde o Diário de bordo recheado de emoções e conteúdos, aqui quero parabelizar nossa dupla infalível de filósofos: Cleidson no violão e Fredson na declaração do lindo poema, mas como não sou de deixar ninguém enciumado não posso esquecer de Daci, Angelica (os conteúdos mostrados no diario sistematizou uito bem o trabalho anterior).
Parabéns a equipe!
Agora vamos proseguir!




video


 
1. Introdução:



O Uso das Tic (tecnologia da educação e comunicação), no âmbito da formação dos educadores para uma prática, atrelada ao uso das mesmas com efetividade e interatividade, traz possibilidades que surgem com as redes de colaboração e a inteligência coletiva, integra uma forte componente educativo, orientada para uma práxis pedagógica ativa, com base no desenvolvimento de uma inteligência coletiva enquanto profissionais da contemporaneidade e integrante da cibercultura sendo consumidor responsável e utilizador inteligente das tecnologias disponíveis.

O uso das TIC é eixo estruturante da educação e, ao mesmo tempo, ser ganizador metodológico do processo didático que lhe está subjacente.


video

2. Tarefa:

1. Hoje estivemos em momento de oficina onde tinhamos o not boock (instrumento da tecnologia digital) e papel + cabeta (instrumento da tecnologia habitual). Bom ambas foram estruturanes na realização da oficina, portanto as novas educações desprezam a escola virgente ou vem para trazer dimensões estrururantes ao educador? Comente sua opinião.

2. Segundo o vídeo Educação em Rede, a educação muda com a tecnologia? Que tipo de mudanças queremos do educador para sua inclusão digigital?

3. Processo:

Reveja o vídeo; leia a tabela construída pela sua equipe e responda ao comentar fazendo a relação das duas tarefas com as dimensões estruturantes do uso das TIC`S na sua rática pedagógica.

4. Avaliação:

Com base nas discussões (por sinal muito rica); com análise dos comentários; utilização da tabela confeccionada em grupo na realização do plano de ensino e planejamento diário.

5. Créditos:

Centro Educacional Império do Saber
Mediadora: Lusiane Carvalho da Silva Santana
Formação Continuada de Professores - Ano 2011
Data 28 de janeiro de 2011

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Formação Continuada de Professores -

Data: 27 de janeiro de 2011

Tema: Educação Inclusiva


Olá blogueiros interconectados com as TIC`S!
Hoje foi um dia especial, pois tivemos a maravilhosa participação de Ive Caroline que nos presenteou elusiva e trouxe suas experiências.
Falar do sujeito da contempoareneidade sem falar
de Educação Inclusiva é como comer Hod-dog sem dog, banana sprit sem banana, ou seja falta o complemento para estarmos inseridos na atualidade.


Vamos agora observar o webquests e colocar nossas impressões!
Bom trabalho!


1. Introdução:


Do ponto de vista da legalidade, desde 1948, a partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos, pode-se afirmar que a educação de especiais passou a ser sinalizada, para pessoa com necessidades “especiais” e educacionais, a fim de se tornar portadora de direitos perante a constituição, a cidadania e, sobretudo do direito à igualdade. Vários outros documentos foram sendo construídos através de lutas sociais, sobretudo pelo direito à diversidade e à igualdade de condições para todos.
Contudo, a educação de “especiais” veio a se tornar debatida, redirecionada, difundida e promovida somente a partir do surgimento do termo Educação Inclusiva que passou a ser reconhecido mundialmente a partir da Declaração de Salamanca, em 1994, reafirmando o compromisso com a efetivação de uma Educação para Todos, reconhecendo a urgência e necessidade de todas as pessoas com necessidades educacionais especiais serem inseridas dentro do sistema regular de ensino.
[...] A DECLARAÇÃO DE SALAMANCA (Conferência Mundial de Educação Especial que reuniu delegados de 888 governos e 29 organizações internacionais de 7 a 10 de junho de 1994 em Salamanca, Espanha) legitima estruturas de educação especial, tendo como princípio orientador a consideração de que as escolas devem acolher todas as crianças, independentemente de suas condições físicas, intelectuais, sociais, emocionais, lingüísticas ou outras. Crianças, jovens e adultos, cujas necessidades têm origem na deficiência ou em dificuldades cognitivas, são considerados portadores de necessidades educacionais especiais e devem ser incluídas em programa educacionais previstos para todos os educandos, mesmo aqueles que apresentam desvantagem severa.

Bom, neste sentido o Colégio Império está um passo à frente, pois aqui se faz Educação Inclusiva de verdade e o educador deve aprimorar-s, a fim de estar apto e ter o desejo humano emocional de trabalhar neste contexto

video


2. Tarefa:

1. Analise quais são ou eram os seus medos no trablho com Educação Inclusiva e de que forma a palestra realizada por Ive Caroline pode resignificar esses medos.

2. Comente as impressões através da leitura do módulo relacionado a Educação Inclusiva.

3. Processo:

Leia o módulo sobre Educação Inclusiva e relacion com a palestra e discussão do grupo.
Percebo que a maioria dos Educadores desta formação continuada já abriram seus bloggers. Isso mostra que o desejo  movendo a conexão com a proposta. Vale salientar que aqueles em curso e que não realizam os combinados devem se reportar aos seus alunos que assim fazem para mais tarde não criticá-los, haja vista que seu comportamento pode parecer  o mesmo.



Bom, como este grupo é a minoria da minoria sei que os Educadores deste curso são educadores de excelência e suas impressões estão ampliando as possibilidades desta formação, agora é hora de colocar seu blog para funcionar! Vamos lá?

4. Avaliação:

Através de toda a participação da formação. Participação no curso, leitura e estudo do módulo, inferências no blog, criação de seu blog e manutenção do mesmo.

5. Créditos:

Centro Educacional Império do Saber
Lusiane Carvalho e Ive Caroline
Educação Incusiva
Data 27/01/2011

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Formação Continuada de Professores - IMPÉRIO - 2011

Formação Continuada de professores
Data: 26/01/2011

Olá professores!
Segundo dia da formação e cada dia mais estamos interligados.
Espero que neste Webquests você possa sentir mais prazer, pois não é uma obrigação, apenas uma forma de fazer história na sua formação


video

1.Introdução:


A contemporaneidade e o processo sociotécnico

Sabendo que a tecnologia, no contexto da contemporaneidade, se constitui como construção sóciotécnica, cujos usos e aplicações são de fundida pela atuação direta dos sujeitos com que interage é importante significar o estudo anterior sobre o sujeito passivo (que vê a história) e o sujeito ativo ( que faz a história) para repensar na questão:
“Quem é você na contemporaneidade?”




Sabemos que a revolução tecnológica tem afetado a cultura e a economia global e , neste caso quem deve ser o educador no mundo sociotécnico é a pergunta que não quer calar.


Sendo assim, nas suas impressões sobre este capítulo procure ao máximo rever sua postura dentro do processo sociotécnico para realizar seu webquests.
Sucesso, Educador Contemporâneo!
Lusiane Carvalho



2. Tarefa

Expresse seus sentimentos ( sem teorizar com autores outros) sobre como você se sentia educador antes e como vocês se sente agora que conhece a tecnociência e sabe a importância das TIC (Tecnologia da Informação e comunicação) na contemporaneidade.

3. Processo

Não perca a oportunidade de montar seu blogger propagando suas produções e alimento a rede colaborativa. Esteja conectado e seja um educador de sucesso!

4. Avaliação

video
Estaremos neste webquests avaliando um ao outro nos comentários expostos o que corresponde as tarefas e interatividade trabalho.